Dia: 7 de Agosto de 2017

Onde estão os negros?

Na minha infância e adolescência não procurava a razão de ser a única rapariga negra na turma, porque seguia apenas brancos de cabelo escorrido no youtube ou porquê não haver negros nas publicidades portuguesas.

Nunca coloquei em causa onde estariam os negros porque o ambiente em que cresci era branco e querendo ou não, moldamos o que somos de acordo com o que assistimos, ouvimos e lemos. A questão surgiu veemente quando fui ver Avenida Q e eu era a negra da sala. Onde estão os negros no teatro? A dúvida foi se alimentado em situações equivalentes nos restaurantes, nas salas, no que assistia, no que lia, no jornal e atingiu o máximo numa conversa sobre o livro da Rupi Kaur e peças de teatro com uma senhora da faculdade. Onde estão os negros?

Há uns dias estava no cinema e vi um comercial em que a menina era semelhante a mim e a mãe era branca com o cabelo ondulado. Por 10 anos sempre assisti as mesmas Matildes de Cascais na TV e agora vi uma Taís? Ademais, um tempo depois descobri a série Still Star Crossed com um rei negro e princesas negras. Wait, what?

Encontrar negros em publicidades portuguesas, uma série em que princesas são negras e não escravas ou empregada doméstica deixa-me de coração mais plácido, as crianças de hoje crescerão sendo representadas de formas e cores diferentes. 2017 está abraçando a diversidade!

T.

Anúncios