Minimalismo

Gradualmente estava a mudar a minha vida sem associar um nome para isso. Por casualidade, conheci o minimalismo e moldei-o conforme às minhas necessidades.

Tenho um quarto muito pequeno mas cheio de coisas e há uns meses comecei a sentir-me com falta de espaço, por isso vendi as minhas cómodas. Gastei 139€ para nada porque não estavam a fazer falta, os gavetões da cama eram grandes o suficiente para caber tudo. As próximas vítimas foram as roupas, sapatos e produtos de beleza: aquilo que não usava, doei; aquilo que não me recordava que lá estava, doei; aquilo que me deixava desconfortável, doei. Esse foi o primeiro passo.

Por coincidência, uns dias depois de fazer a limpeza, estava a assistir vários Ted Talks e surgiu “A rich life with less stuff”. Um dos senhores disse “I was living paycheck to paycheck… living for stuff” e eu estava na mesma situação, vivendo para as coisas, para possuir, para comprar. O que eu tinha não se ajustava às minhas necessidades na vida real, o que eu tinha era para satisfazer essa vontade de ter. Ter porque é bonito, ter porque acho que preciso, ter porque está em saldos, etc.

Para além de ser aplicado em coisas materiais, o minimalismo não fica por aí, é ajustável em outros aspectos como os teus pensamentos, acções e estilo. Sempre preferi vestuário e design, neutro, com um ar polido, simples, organizado e esse é o lado estético do minimalismo. Relativamente aos pensamentos é retirar o excesso de raciocínios que não te levam a lado nenhum e nem te fazem bem.

Hoje prezo muito como eu gasto o meu dinheiro e o meu tempo. Eliminei o Facebook, eliminei pessoas tóxicas, consumo de forma consciente (preciso? quantas vezes vou usar? já tenho parecido?), tento manter os meus pensamentos simples e finalmente priorizei o meu crescimento pessoal. Eu quero ser rica, rica em memórias, conhecimento, felicidade.

Por último, a graça do minimalismo é que ele adaptável, cada pessoa tem necessidades e vidas diferentes. É um processo que leva tempo, não tem começo nem fim e foca na qualidade em vez da quantidade.

T.

Anúncios

2 thoughts on “Minimalismo

  1. É surpreendente ver que passado mais de um ano, ter visitado pela primeira vez o seu blogue, você ainda continua com ele. Você não sabe quem eu sou, nem se lembra de mim de certeza, mas eu decidi vir visitar e fiquei muito surpreendido mesmo. Parabéns e continue com o seu trabalho, beijinhos.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s