Pensamentos da Madrugada (#6)

As vezes eu penso o que eu deveria ser. Uma santa que deixa levar sempre “porrada” ou alguém que se impõe mas é da minha personalidade não ter paciência para essa gente.

De tantos maus tratos porque a pessoa está irritada deixa-me psicologicamente exausta. Quase que acredito em suas palavras, quase que acredito que realmente sou o que me ofende. Mas ai está! Importo-me muito com os outros e as suas opiniões. Chorei baba e ranho porque a “vadia chic” acusou-me de não aparecer no trabalho enquanto que eu tinha provas que diziam o contrário, na minha própria família sou insultada, lá fora é a mesma merda. Oh gosh, deixa-me respirar um pouquinho.

Eu já fui uma pessoa muito má. Ao meu ver. Quando era mais nova irritava-me facilmente, era respondona, mal criada, revoltada mas por feridas que nenhuma criança deveria ter. Então fechei-me e fiquei de mal com a vida, piorou com a adolescência devido a fase do “descobrir quem tu és”. Intensificou a minha raiva, apareceu a minha instabilidade, eu dava porrada no colchão, arrebentava-o no meu quarto. Pensava que era capaz de ultrapassar tudo sozinha. Tudo mesmo. Mas isso era orgulho.

Graças a idade melhorei bastante nos meus 17 anos até agora. Já nada disso acontece mas a instabilidade por vezes esta presente em momentos de mentalmente confusa (?). Há coisas que devo ainda aperfeiçoar como ouvir por mais tempo ahahah. É bom de vez em quando olhar para atrás e ver o quanto cresceste no teu percurso, merecia uma medalha.

Eu queria uma família normal. Pai e mãe levando para escola, ferias em familia, jantares, almoços nos domingos, risadas, felicidade. Quando somos crianças temos tudo isso, a última vez foi quando tinha 6 anos, mas como posso ter a certeza que não foi a minha imaginação inocente? Nessa idade somos tão criativos que nem damos conta de ver os problemas dos adultos.

Quero voltar para o tempo em que comia muito algodão doce e pulava de trampolim. Adormecia na rede e acordava na cama, a mesa farta e com a família, brincar, brincar e brincar. Mas moleza todos desejamos não é?

Good Night, T.

 

Anúncios

2 thoughts on “Pensamentos da Madrugada (#6)

  1. Oi linda… Vim conferir seu blog e amei !!! Você escreve tão bem… Tem dias que desejamos realmente voltar aos tempos de criança… Mas… Pode ter certeza que problemas sempre existiram, afinal, toda aquela perfeição era somente fruto da nossa imaginação, da nossa inocência… Ahhh doce infância! Bjss.. Já estou seguindo e voltarei sempre !!!

    http://www.divei.com.br

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s